sexta-feira, 31 de maio de 2019

O mundo no poema


No poema
o mundo embaraça. Não dá jeito nenhum
em nenhum lado. Na mesa destoa da jarra e do retrato,
nas gavetas fica enorme e é pesado.

Atirava-o sorrateiramente pela janela,
como quem deixa cair a bola ao chão. Escondia-o
debaixo do tapete ou prendia-o pela corrente ao meu portão.

E não é que eu seja impertinente,  desleixada, impaciente
 ou de má raça, mas é que, sempre que entra
no poema, o mundo esperneia e faz pirraça.



Maria da Fonte

Sem comentários:

Enviar um comentário