quinta-feira, 9 de agosto de 2018


Ao meu chapéu de aba larga,
regresso sempre que posso,
sem o ajuste das tranças
e o adivinhar do esboço.

Baloiço no fio das horas
e no cheiro longo dos dias.
Levo das manhãs a alma,
e do vento a teimosia.

Sobrevoo a minha sombra
presa à nascente da luz,
na ânsia de encontrar
o sonho que me conduz.

Maria da Fonte
Imagem retirada da internet