quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Eu quero descer do alto dos tacões


Eu quero descer do alto dos tacões,
Que me levam por betesgas, vielas.
Quero correr descalça em ilusões,
Em liberdade, como correm elas.

Despir-me de mim, do meu parecer,
Voltar ao meu vestido de criança,
Rasgar o excedente do meu querer,
Voar nas memórias da lembrança,

Brincar nos caminhos da inocência,
Viver constantemente de porquês,
Repousar no olhar desta aparência,

Despertar no colo da lua cheia.
Imaginar que poderei, talvez,
Ser a estrela que no sonho me enleia.

Maria da Fonte

Sem comentários:

Enviar um comentário